Marketing Social, Origem, atualidade e desafios futuros

Imprimir

Você sabia que um dos fatores que contribuíram para o surgimento do que conhecemos hoje como marketing social, foi uma explosão de bebes?

Calma, não fique assustado, nada tem a ver com bebes voando pelos ares, tem a ver com um surto de natalidade que ocorreu nos Estados Unidos após a segunda Guerra Mundial conhecido como baby boomer. Então, vamos conhecer um pouquinho da história?

O conceito de Marketing social, que na época ainda não era um conceito claro e instituído, começou a ser desenvolvido por volta dos anos 50, quando alguns estudiosos começaram a se questionar se valores poderiam ser vendidos como produtos. Nos anos 60 e 70, acontecimentos como a geração baby boomers, a carta dos direitos do consumidor, a guerra do Vietnam, entre outros fatos ocasionaram uma mudança na cultura norte-americana, trazendo diversos questionamentos, entre eles se o modelo consumista era socialmente adequado.

Foi aí, nessa relação consumo-sociedade, que aparecem os primeiros questionamentos sobre o papel do marketing na sociedade, posicionando-o, não só como uma estratégia para que as empresas atinjam seus objetivos, mas também uma maneira de alcançar os objetivos da sociedade.

Os estudos sobre o tema foram se aprofundando e uma sociedade de consumo mais consciente foi surgindo com o passar dos anos. Pela sua ampla abrangência vários conceitos se desdobram dentro da mesma temática: marketing social, marketing societal, macromarketing e responsabilidade social corporativa.

O marketing social é direcionado a problemas ou causas sociais, influenciando no comportamento dos indivíduos sem visar ganhos financeiros. Já a abordagem societal é sustentada pela conscientização do consumidor a respeito do impacto que o consumo pode gerar na sociedade. Questões ambientais e sociais como: desperdício de recursos naturais, poluição e condições sub-humanas de trabalho nas empresas passaram a influenciar no processo de decisão de compra de um produto.

Tags: , , , ,